top of page
Buscar
  • Foto do escritoramaralsandybastos

INSEGURANÇA / INSEGURANÇA EMOCIONAL

Atualizado: 3 de fev.


A insegurança, ou a insegurança emocional faz você acreditar que é inferior aos outros, faz você acreditar que você não é digno(a), merecedor(a) de ser amado(a), de ser reconhecido(a), de ser aceito(a). Você não acredita em seu próprio potencial, muitas vezes nem sabe que ele existe mas está lá, em seu íntimo, pronto para desabrochar. 

A insegurança, rouba sua confiança em todas as esferas da vida, em quase todos os momentos. É uma emoção que afeta a vida e a jornada das pessoas, impondo limites, dificuldades, autossabotagem, tristeza.


INSEGURANÇA, é sua percepção individual em relação às próprias capacidades e méritos. É um sussurro de dúvida em sua mente. Sua autoconfiança escorrega, se esvai.


A origem? pode vir de variados fatos, experiências de vida, que tiraram a confiança em si mesmo, gerando dúvidas constantes sobre as próprias capacidades, aparência, ou valor como pessoa.

Essa origem pode vir desde muito cedo, desde tenra idade.


A insegurança age silenciosamente, minando a autoestima e prejudicando a qualidade de vida.

A insegurança pode levar a uma constante busca por aprovação externa. 



A sensação de não ser bom ou boa o suficiente pode gerar ansiedade, medo do julgamento alheio e até mesmo se excluir de situações sociais, dá sensação de não pertencimento.


Essa autocrítica incessante pode impedir o desenvolvimento pessoal e profissional, criando barreiras que limitam o alcance do potencial de uma pessoa.

As relações interpessoais são afetadas pela insegurança, gerando o medo de ser rejeitado ou inadequado, gerando ciúmes, a sabotagem de relacionamentos saudáveis.


Superar a insegurança é um processo desafiador.  O autoconhecimento e o desenvolvimento da autoestima são passos fundamentais. Aceitar que todos têm imperfeições e que os erros são oportunidades de aprendizado é essencial para construir uma base mais sólida.


Importante dizer que a insegurança não define uma pessoa, e superá-la demanda tempo, esforço e compaixão consigo mesmo. Ao cultivar a autenticidade, a aceitação e a confiança interior, é possível criar uma base emocional mais estável, permitindo um crescimento pessoal mais significativo e relações interpessoais mais saudáveis.


Algumas dicas:

1.Procure identificar suas inseguranças. Faça uma lista de situações, questões, momentos, pessoas, desafios que provocam essa emoção negativa em você.


Aceite o que você não pode controlar. Muitas coisas estão fora do seu controle. Seu foco deve ser controlar seus próprios pensamentos e ações.

Faça também uma reflexão, o que poderia acontecer se você enfrentasse tal situação. 

Este primeiro passo é importante para que você reconheça a insegurança em você.


2.Reflita, observe quais são as suas crenças limitantes. Responda perguntas como:  o que deixei para trás por não acreditar e mim? O que eu acredito que me impede de ir além?  Acredito em minhas capacidades? Tenho o hábito de ver os outros em posição de superioridade em relação a mim? Estou dando importância demasiada à opinião alheia?


3.Lembre-se das adversidades que você já passou e já superou. O que fez para superar?  Quais foram seus pensamentos fortes que te ajudaram a superar as limitações daquele momento? Reflita e busque aquela força novamente.


4.Observe seus pensamentos. Em que momento eles vêm para sabotar suas iniciativas?  Aquela voz em sua cabeça que diz, não você não vai conseguir.  Quando surgir essa voz, substitua esse pensamento por outro positivo, diga a si mesmo(a), sim eu posso, sim tenho força, sim eu sei como fazer. 

E para cada pensamento negativo, crie outro positivo, dia após dia.  Reprograme seus pensamentos, reprograme seu mental.

Não aceite mais provocações de seus pensamentos, enfrente-os com pensamentos e afirmações positivas.   Saia de sua zona de (des)conforto.


5.Lembre-se, ninguém e nada é perfeito. Sempre haverá pontos a serem desenvolvidos e melhorados.  Ser melhor a cada dia, deve ser o lema de todos.

Aprenda com seus erros, analise o que não deu certo, o que pode ser aprendido, e faça melhor a cada dia.



6.Desenvolva hábitos novos. Desenvolva habilidades e competências novas, adquira novos conhecimentos. Nutra sua alma, seus pensamentos, com uma boa leitura, expanda seu campo de conhecimento, de ação. Treine novas habilidades, converse com pessoas mais experientes, com pessoas que estejam buscando se desenvolver também. Ninguém faz nada sozinho. Não hesite em pedir ajuda, em conversar, em dividir suas dificuldades.

Não há evolução solitária. Pessoas de confiança, apoio vão te ajudar a adquirir mais confiança para superar essa fase.


7. Desenvolva a virtude da autodisciplina e do autocontrole. Mantenha-se motivado(a), mantenha o foco em metas realistas.


8.Seja mais gentil consigo mesmo(a). Ninguém é perfeito(a). Sempre haverá pontos de crítica e pontos a melhorar. Que bom isso. A vida é dinâmica, e sempre exigirá que estejamos atentos e estejamos em pleno desenvolvimento.


Viva e aproveite no momento presente. É um presente!  Seu objetivo é viver o seu melhor no momento presente, pois dele dependerá o seu amanhã.



Seja grato(a). Foque no que você tem, nas suas conquistas, já realizadas, e não no que falta.  Faça uma lista do que você já conseguiu, do que você já tem. Pode se surpreender.

Concentre-se nas coisas boas, nas pequenas coisas que te fazem feliz.  Mantenha atitude positiva.


Se precisar perdoar, perdoe. Comece por si mesmo(a). liberte-se!


9. Tenha em mente que toda mudança é interna. O esforço para mudar a si mesmo é valioso. Não queira mudar o outro, o mundo. A verdadeira mudança começa de dentro para fora, começa em seu íntimo.  Você só tem controle sobre si mesmo(a). Você só tem controle sobre seus pensamentos, suas atitudes, suas ações. Só seus, e jamais dos outros. Lembre-se disto!


10. Procure ajuda profissional. Esse caminho, essa busca sozinho(a) é mais árduo, um caminho mais longo. Para lidar com emoções muito fortes, angústias, dores, conte com o apoio de um profissional.


Com a ajuda da hipnoterapia, é possível identificar as origens, as causas que criaram esse estado de insegurança na pessoa.  Não importa a época, o fato, todo o envolvimento, a pessoa vai conhecer a percepção que tais fatos causaram em seu íntimo, toda limitação e sofrimento e tudo será ressignificado. O que quer dizer, aquela percepção será reprogramada.


Pode parecer difícil entender isso, sem passar por um processo. Mas é isso que acontece.

Essas emoções serão substituídas por novas e positivas percepções, um novo entendimento, um novo recomeço, uma nova vida. Um componente importante desse processo é o entendimento do perdão. Perdoar a si mesmo e aos demais. É uma abordagem diferente do que se pensa sobre o perdão, não é apagar, não é dar a outra face, não. É se libertar, é libertar o outro. É disso que se trata o perdão.


Vai descobrir ainda, muitos potenciais inatos que tem em seu íntimo, seu poder interior, um poder enorme de realização, com brilho, entusiasmo, criatividade.  E vai começar a se valorizar. É transformação de vida!

 

A hipnoterapia pode ser um mergulho corajoso em seu próprio eu, reconhecer seu valor único, seu poder interior. A hipnoterapia é transformacional!



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page